As terapias respiratórias atualmente tem sido o grande diferencial nas estratégias para a reabilitação respiratória. O novo olhar sobre estas técnicas favorecem a respostas positivas e também a maior satisfação na relação do fisioterapeuta com seu cliente.

Dentre as varias terapias utilizadas hoje, as técnicas de pressurização, que geram pressão positiva intra-toracicas, são as mais destacadas e com melhor respostas funcionais.

As terapias de reorganização e readaptação respiratória (TR3) foram desenvolvidas pela Fisioterapeuta Alessandra Dorça com bases fisiológicas em terapias de pressurização controlada de vias áreas superiores. Com isso temos fortalecimento de musculatura intrínseca desde musculaturas respiratórias como abdominal e diafragma, melhora da qualidade da liberação de volume pulmonar, proporcionando relação entre as técnicas de treino contra resistivo e a presença do volume de espaço morto supra traqueal.

O objetivo é de favorecer o reposicionamento, reorganização, fortalecimento, propriocepção em vias aéreas superiores com pouco uso por alterações de força e por desuso nas traqueostomias. Também ajudar no incremento dos volumes e capacidade pulmonares, favorecendo a minimização da obstrução em várias patologias respiratórias, neurológicas, neuromusculares, apnéias do sono e muito mais!

Corpo Docente

Prof. Ft. Alessandra Carneiro Dorça

UNIDADES

São Paulo, Belo Horizonte,Palmas e Vitória

INÍCIO

• Data Prevista: 17 e 18 de maio de 2019 (São Paulo)

• Data Prevista: 14 a 16 de junho de 2019 (Belo Horizonte)

• Data Prevista: 23 a 25 de agosto de 2019 (Palmas)

• Data Prevista: 04 a 06 de outubro de 2019 (Vitória)

*As datas citadas são de uma programação prévia, antes do início da turma elas são previstas e pode haver alterações de acordo com disponibilidade de professores e salas.

(Os encontros são 100% presenciais e os horários podem ter alterações de acordo com a programação de aula e conteúdo pela professora)

Programação

Bases fisiológicas e funcionais da técnica

  • Fisiologia respiratória básica –  ( volume corrente, volume de espaço morto, relação frequência respiratória e volume corrente, ventilação alveolar)
  • Componentes elásticos e resistivos e suas relações com a diminuição do volume corrente e das alterações funcionais em várias patologias
  • Resistência traqueal (por relação de baixo volume, por acesso de peso, pós traqueostomias)
  • Pico de fluxo (diferenças entre fluxo expiratório e pico de tosse) – porque avaliar? Quando diferenciar fraqueza do fechamento glótico ou perda da musculatura abdominal?
  • Diminuição  do volume de espaço morto e suas alterações em regiões supra-traqueais

Traqueostomias

  • Como a traqueostomia influencia nas alterações respiratórias (um olhar sobre as vias aéreas superiores)
  • Desuso – como minimizar?
  • Ausculta pulmonar de obstrução (verificação das pressões de CUFF, como avaliar a alteração?)
  • Desorganização sensorial pós traqueostomias

Ventilação Não Invasiva

  • Como avaliar a complacência dinâmica e correlacionar com a melhora funcional?
  • Modos de suporte ventilatório (máscaras, modos, sincronias)
  • CPAP – fluxo contínuo para vencer resistência
  • Como utilizar para reposicionamento traqueal?

Conteúdo prático

  • Terapias pressóricas com ambu – CIM, RPPI, Empilhamento
  • Ventfisio – flash de pressurização e RPPI
  • Tosse – avaliação da tosse
  • Workshop de dispositivos de tosse assistida
  • Terapia pressórica com a VUP – avaliação da pressão e melhores indicações
  • Técnica de apnéia pressurizada – para que serve?
  • Técnica de avaliação de força – pressão na deglutição
  • Fluxo contínuo durante a deglutição
  • Avaliação da relação componente elástico x geração de volume pulmonar
  • Terapias de fluxo turbulento para pressurização rinofaringea (limpeza nasal)
  • Workshop de Ventilação não invasiva

Mecanismo pendluft

  • Desorganizações causadas pelo desuso
  • Baixa geração de volume corrente por alterações resistivas e elásticas
  • Fraqueza muscular por desuso ou sarcopenias do idoso
  • Efeitos das traqueostomias
  • Importância das terapias de sensibilização laríngea
  • Relação capacidade vocal x volume corrente
  • Importância da pressão subglótica
  • Ventilação alveolar e volume de espaço morto anatômico

Técnicas

  • Terapias pressóricas de sensibilização e propriocepção de vias aéreas superiores – VUP
  • Terapias de pressurização mantidas para fortalecimento muscular por meio de exercicio de contra-resistência (reposicionamento pressórico)
  • Pressurização controlada em apnéia
  • Deglutição em apnéia com controle de pressão
  • Terapias de geração de fluxo continuo para treino proprieceptivo e resistivo – deglutição em fluxo pressurizado contínuo
  • Terapias de fluxo turbulento para pressurização rinofaringea

Público-alvo: Fisioterapeutas

Todo aluno inscrito ganhará um kit: Ambu + VUP + Manometro + Bucal + Clip nasal + Fita métrica

Local: Verificar com seu consultor